sexta-feira, 20 de março de 2009

Transportes públicos - a saga II

Eu sou mazinha e depois acontecem-me certas coisas...

É que, durante a viagem que fiz hoje, sentei-me no autocarro e coloquei os óculos escuros, carteira (cheeeeia e pesadííííssima) em cima do banco ao lado, virei a cabeça para a janela - tudo, para desencorajar as pessoas de se sentarem no banco ao lado do meu, porque me apetecia mesmo uma viagem sossegadinha e também porque a carteira estava mesmo pesada e não me apetecia nada fazer a viagem com ela no colo... Esta é a parte em que sou má.

Nesta espera, acabei por quase adormecer... Despertei com uma voz rouca (no senido negativo da palavra): "Posso?". Olhei: homem nos seus 50, barba por fazer, unhas sujas, roupa desgrenhada e o cheiro... eu nem vou falar! :S

Mesmo assim, passado algum tempo a tentar prender a respiração, consegui adormecer (sim, estava mesmo com muito sono... não dormi nada a noite passada...). Quando acordei, já não muito longe do Porto, o homem lança um grunhido. E eu, ainda meio endorminhada: "O quê?", "Estás com sono". EstáS?! Mas que confiança é esta?! Chega p'ra lá! Não respondi. Não faltava mai nada... O homem deve estar parvo... "Então, vais para o Porto? Que é que vais lá fazer?" Eu bem que não ligava, mas o homem não se calava... "Vou ter com umas pessoas", lá respondi. "Pois, sexta é noite de borga... Mas aviso-te já... Se queres um conselho de amigo, não vás para a Ribeira hoje à noite... É que eu sou da PSP e vamos fazer uma rusga lá hoje, a partir da uma da manhã. E vamos apreender toda a droga que houver e prender todas as pessoas!". Virei-me novamente para a janela e comecei a tentar controlar o riso... Depois, o homem não parava de falar na rusga... "Vai ser uma grande rusga, tenho que descansar duas horas antes da rusga, vim de propósito para a rusga, rusga, rusga, rusga...". A palavra chegou a perder o sentido! Até ligou (ou fez que ligou) para alguém e disse: "Olha, estou aqui com uma rapariga bonita, ela vai sair hoje à noite aqui no Porto e eu estou a dizer-lhe para não ir para a Ribeira, é hoje a rusga não é? É a partir da uma da manhã, não é? Pois, hoje na Ribeira não dá jeito... Sim, eu digo-lhe...". Como viu que eu me ria, disse "Não acreditas que eu sou polícia, pois não? Então vou mostrar-te o meu distintivo da polícia". O homem tira uma série de cartões do bolso, aí uns dez cartões de telemóvel (daqueles grandes, onde vem o cartão pequeno quando se compra o telemóvel) e uma carta de condução, das antigas. Mostra-me a carta. "Vês?" Isto é verídico!! Acerca dos cartões, disse: "Isto é tudo roubado!... Roubado, que eu apreendi!" (claro, não fosse eu pensar que ele é que os tinha roubado...) Já não sabia o que fazer para não rir à gargalhada... Mas depois o homem começou com perguntas parvas... "Vens ter com o namorado?" "Como é que te chamas?" "Tira os óculos, para poder ver o teu olhar" "Dá-me o teu número". eu tentava não lhe responder (perguntas que não merecem resposta), mas lá me saiu: "Se é polícia, devia saber que não devemos dar o número de telefone a estranhos". Raio do homem! Fartou-se de insistir comigo para ficar com o número dele, caso precisasse de algum sítio para dormir, no Porto!!!! Dá para acreditar?!! E, no fim, ainda me convidou para tomar café... "Tenho que fazer" foi o que disse, praticamente a fugir, na direcção oposta à que ele ia. E eu até queria ir para aquele lado. Mas depressa mudei de planos! Arre!!!

8 comentários:

A mais nova disse...

:OOOO

MY GOD!!

não acredito! que horror! sinceramente, que fdp! só faltava dizer-te "devias ver-me de farda"...oh please...

ai meu Deus, não sei se ria não sei se chore...

P. disse...

LOOl

muito muito bom!

o senhor não tinha mesmo noção.. ahah!

mas portaste-te à altura! ;)

Alexandra disse...

Ah credo, que melga.
Por estas e por outras é que eu odeio transportes públicos. Mas deste-lhe bem.
Realmente, as vezes há gente tão triste. :(

*

A mais velha disse...

agora rio-me, mas quando cheguei ao Porto até andei uns tempos a olhar para trás, com medo que o homem viesse atrás de mim...! brrr

Psigma disse...

E eu que me esqueci de dizer que não podia ir ao Porto, nessa tarde... LOL... Sorry...

A mais velha disse...

hehe não faz mal... desde que digas quando PUDERES ir...! ;p

pmfap disse...

E o porque de eu não saber nada disto??? Ai se eu apanho o Velho...Enfio-lho do policia pelo c... a dentro....

Pedro disse...

Eu acho que as pessoas discriminam as pessoas que fazem rusgas, e está mal..Só porque não encontraram nada em casa do pinto da costa não quer dizer que não haja aquecimento global, na minha ideia.Mas enfim....